Jorge Andrade participa na Portugal Ultramarathon desde a primeira edição e nunca conseguiu terminar os 281km, mas a sua motivação leva-o a continuar a tentar até conseguir. 

A corrida começou a fazer parte da sua vida desde Agosto de 2014 e foi a possibilidade de desfrutar da Natureza, conhecer pessoas e fazer amigos que o motivou a praticar a modalidade. Mas são as provas de longas distâncias que lhe despertam o interesse, que lhe “proporcionam autossuperação e um conjunto de adversidades que uma corrida normal, de curta distância, não tem”.

Participar na Portugal Ultramarathon é seguir a sua paixão pelo desafio em geral da vida, “é a aventura e o orgulho de tentar até poder ser finalista numa das maiores distâncias de Portugal. É uma forma de levar o meu nome profissional e da minha freguesia, Ponta Delgada, Madeira, além-fronteiras.”

Jorge Andrade participa na Portugal Ultramarathon desde a primeira edição do desafio, caracterizado pela sua persistência volta ano após ano para tentar concluir os 281km de prova. E a cada edição descreve-se com “uma personalidade diferente, mais persistente, e com vontade de se superar na edição seguinte”.
Considera-se uma fonte de inspiração para outros aventureiros, demonstrando que a persistência é meio caminho para se conseguir, e que de certa forma “desistir de tentar é demonstrar-se fraco”.

Assim, Jorge deixa como concelho “não é vergonha desistir quando já não se pode, importante é tentar até conseguir”.